E toma – chip nos carros

A partir de maio de 2008, os carros da cidade de São Paulo deverão instalar chips (mais ou menos como aqueles usado no sistema de pedágios Sem Parar) em seus pára-brisas, para que seu carro possa ser rastreado por uma das 2500 antenas que serão instaladas na cidade.

A prefeitura afirma que o objetivo do projeto é

O objetivo é aumentar a segurança da população, otimizar a gestão do tráfego e melhorar a fiscalização de veículos na Capital. Haverá a redução da inadimplência no pagamento de IPVA, licenciamento e multas, que atinge cerca de 30% da frota da Cidade. Também permitirá a realização de operações policiais com mais eficiência, o cumprimento da legislação sobre carga e descarga de caminhões, a verificação do tráfego de veículos e de cargas especiais em rotas e horários especiais e a fiscalização do rodízio de veículos em zonas de restrição à circulação.

É, o objetivo é arrecadar mais dinheiro. Um dinheiro que eu particularmente não acredito que será revertido na melhoria das condições de tráfego, construção de ciclovias ou para construir a parte final do rodoanel, que será pedagiado, eliminando uma alternativa de trânsito e piorando o trânsito caótico da cidade.

Sei que a longo prazo essa medida pode tornar o trânsito da cidade mais civilizado. Ninguém mais se arriscará a passar no vermelho, já que é multa na certa. Parou na faixa? Multa! Sair cinco minutinhos antes do rodízio acabar? Multa!

Mas a curto prazo, os motorista ficarão confusos, frearão bruscamente nos faróis e… Chega de ser pessimista. A instalação será gratuita. Se você achar que não deve instalar, eles te pegam, apreendem seu carro e só pagando R$127 para tirar ele do pátio.

3 comentários em “E toma – chip nos carros”

  1. Não querendo defender a política, mas creio que isso nada mais é o reflexo do jeitinho brasileiro. Já faz parte de nossa indole não respeitar a lei se sabemos que não seremos pegos. Ou seja, quando o limite é 70km/h, sempre passamos mais rápido onde sabemos que não haverá radar.
    Se nós, paulistanos, respeitassemos a legislação pela própria indole da lei, eu concordaria em criticar tal projeto.

  2. Olá,

    O que me deixa mais preocupado não é a propria perda de privacidade, mas sim a impunidade de um sistema como esse pode causar. Como é de praxe o infrator irá criar uma forma de sair impune e o usuário terá que arcar com o custo das multas e da instalação dos chips, pois quem paga impostos somos nós!

    Caso o chip seja um RFID a segurança é muito limitada e restrita, pois facilmente muito facilmente o mesmo pode ser clonado e, consequentemente, o motivo inicial que era segurança irá ser burlado pelos criminosos e o usuário terá que arcar com todo o custo de instalação de um sistema ineficiente.

    Para se clonar um chip RFID é muito simples! Inicialmente é necessário saber a frequência de transmissão do mesmo. Depois de sabida a frequência é necessário ter um receptor que trabalhe na mesma frequência. Com isso o codigo de um carro é transmitido por essa frequência é copiada e pode ser reproduzida por um transmissor facilmente.

    Uma outra falha dos RFID é a facilidade de se danificar o mesmo. A partir do momento que um estilete é passado em cima da etiqueta a mesma para de funcionar, portanto no caso de um furto de um veiculo o criminoso irá “cortar” o chip e poderá passar pelas antenas sem ser notado. Portanto o mesmo só será punido, caso passe por uma viatura que tenha a antena receptora e verificar que o veiculo esta com o chip danificado.

    Será que isso é vantajoso para nós?

    No entando seria muito interessante a utilização dos chips em permissionários como onibus, caminhões e etc, pois esses sim tem que ser monitorados para saber se estão cumprindo com os contratos com o governo da forma que foram contratadas e que estamos pagando com os nossos impostos.

  3. Este processo de monitoramento já existe há muito tempo em Cingapura na Ásia, onde o motorista paga um valor extra por trafegar em centros urbanos em horários de pico, sem a necessidade de ter fisicamente uma estrutura de pedágio. Por outro lado, os sistemas de saúde, educação e infraestrutura são excelentes. Seria uma tentativa de resolver o problema de trânsito em São Paulo por coerção e às custas de nosso bolso, enquanto que economizam a longo prazo os salários dos ineptos marronzinhos, que sobrevivem às custas das falhas dos motoristas. A cada dia cresce a quantidade de taxas e fiscalização, com exceção das autoridades e o governo, onde não existe sinal vermelho e nem rodízio que segure suas decisões de meter a mão no dinheiro do contribuinte. Este país estimula a indigência do cidadão do bem, pois somente desta forma estaríamos livres desta repressão crescente em forma de impostos, pelos gastos adicionais com o carro em seguros contra roubo e buracos ou pelos assaltos no trânsito. Agora a tecnologia permitirá mexerem em nosso bolso sem a necessidade de abaixarmos os vidros filmados de nossos carros. Pensando bem, ser indigente não é uma saída pois posso um dia acordar sem os meus rins… Terei o prazer de H4CK34R e disponibilizar na internet esta tecnologia quando chegar por aqui.

Os comentários estão fechados.