Rélouím?

Post contra a adoção da cultura americana no Brasil!

Hoje é comemorado o halloween nos EUA, uma festa de origem celta que já perdeu suas tradições e virou totalmente comercial, na qual todos se fantasiam de monstros como o frankenstein, um fantasma bobo qualquer, duendes, bruxas, e alguns outros monstros criados por hollywood 🙂 Além disso, fazem esculturas em abóboras e saem por aí assustando as pessoas ou pedindo doces…

Fico incomodada com a comemoração desse dia aqui no Brasil, pois mostra a invasão americana e o massacre da nossa cultura popular. Acontece a mesma coisa no natal, quando, em pleno verão, enfeitamos pinheiros com frufrús que imitam neve e divertimos as crianças com um velho gordo vestido de esquimó vermelho (aliás, tenho dó desses caras – que geralmente são os tios – que devem passar um calorão dentro daquela roupa).

Bom, voltando ao assunto, quem aqui lembra ou conhece lendas e mitos da nossa cultura? Quem sabe quando o dia do folclore é comemorado (não vale olhar na agenda)? Quem sabe como e onde surgiram as lendas?

O dia do folclore foi instituído por um decreto presidencial e é comemorado no dia 22 de agosto. O folclore brasileiro é uma das mais ricas culturas do mundo, reflexo da influência da diversidade de povos que contribuíram para a formação da nossa nacionalidade.

As histórias do Saci Pererê, da Mula sem cabeça, do Curupira, da Iara, da Cuca, do boto cor de rosa, do Lobisomem e de mais uns outros, marcaram minha infância nas historinhas do Chico Bento (da Turma da Mônica) ou do Sítio do Pica Pau Amarelo, de Monteiro Lobato. Ainda bem que essas histórias estarão sempre por aí para que as novas gerações possam conhecer um pouco mais da cultura brasileira:

O Saci é uma pessoinha pequena, zombeteira, de uma perna só que usa um gorro vermelho e fuma cachimbo. Ele é o guardião das florestas e vive fazendo travessuras e também coisas ruins às vezes (mas todas maldades pequenininhas, traquinagens). Como todos sabem, para se capturar um saci é necessário uma peneira e uma garrafa, sabe-se lá como todos os sacis são atraídos para dentro da garrafa.

O Curupira é outro pequenino, que nem um molequinho, com os cabelos da cor de fogo e que tem os pés virados para trás (para despistar quem quer que esteja o seguindo). Ele protege os animais da floresta e engana os caçadores “do mal” fazendo barulhos que imitam animais para que os caçadores sigam na direção dos barulhos até perceberem que ficaram perdidos na mata.

A Iara (também conhecida como Mãe d´água) é uma sereira que vive nos rios. É uma mulher linda que encanta os homens com um canto maravilhoso, e bobos com o feitiço, pulam na água. Mas aí já é tarde, a Iara os arrasta pro fundo do rio e nenhum voltou vivo para contar a história 🙂 Há quem diga que ela os devora lá embaixo…
PS: os índios têm tanto medo da Iara que no entardecer não chegam perto dos rios e lagos…

A Mula sem cabeça é uma mula que no lugar da cabeça tem um super fogaréu. A Mula sem cabeça é uma mulher que se apaixona por um padre, e é então amaldiçoada. À noite se transforma na mula e sai correndo desvairada por aí.

Recomendo a todos que tiverem interesse a dar uma procurada por aí em mais lendas brasileiras, as próprias histórias e de como cada lenda surgiu são bastante interessantes, principalmente as que derivam da cultura indígena.

6 comentários em “Rélouím?”

  1. É Jú. Vi que vc também não gostou do Zombie Walk.
    tudo bem…
    Quem sabe vc não se anima e vai fantasiada de mula sem cabeça ou iara….
    E leva o Nelas de Curupira!

  2. Ju,

    Até onde eu sei, pra capturar um saci vc precisa achar um redemoinho num rio, pegar a peneira, colocar por cima do redemoinho e a garrafa logo abaixo da peneira. Coloca uma rolha na garrafa e pronto, vc tem um saci. Só que o saci é esperto e fica invisível dentro da garrafa… pra vc pensar que não tem nada dentro e abrir a garrafa pra conferir. Nessa hora, ele foge 😀
    Pô Ju, tem uma história do Chico Bento que conta bem isso hahahahaha

  3. Olha, para dizer a verdade eu não sou contra o Halloween. Eu adoro qualquer tipo de festa.
    No Brasil nos já temos uma comemoração muito semelhante a do halloween, que ocorre dia 27 de setembro, o dia de São Cosme e Damião. Quando eu era menor, era uma loucura a quantidade de doces distribuída no meu bairro para as crianças. Essa tradição está morrendo e, ao invés de tentarem mantê-la, querem criar o dia do Saci, que é, na verdade, um Halloween americano mascarado.
    O que dizer da Oktoberfest que acontece todos os anos em Blumenal? Alguns seriam contra e desejariam criar a “Caipirinha de Outubro”? Por que não podemos aproveitar nada de bom das outras culturas?E o pior: por que não valorizamos o que já temos, como o dia de São Cosme e Damião?
    Não achem que sou contra a valorização do folclore nacional. Eu amo o folclore, mas acho que esse rico folclore merecia muito mais que um plágio de festa.

  4. Doçuras ou travessuras?

    Bem, eu fico com as travessuras do Saci e com as doçuras de São Comes e São Damião.

    Mas, num país colonizado e construído por escravos vindos da África e imigrantes de vários países, acho que há espaço para todas as culturas.

    Por isso, gosto de Rock&Roll, Rythm&Blue, Jazz, assim como gosto de MPB, samba de partido alto e músicas de raiz.

  5. É intrigante essa datas comemorativas que vieram de fora e, não sei como, adotamos como se fosse algo natural.

    Sempre fiquei me perguntando sobre o Noel e o nosso verão… totalmente incompatíveis!

    Abandonemos os pinheiros e usemos guarda-chuvas! Coloquemos a roupa do Noel de Molho e coloquemos ele de bermuda e de geladinho na mão!

    Antropofagia sim, aculturação não!

    Isso me faz lembrar que nas escolas (nem, na minha época pelo menos) não se ensinava muito sobre a nossa cultura, história e etc..

    Ainda não sei quando é o dia do Folclore… que tristeza.

    Um grande abraço,

    .faso

Os comentários estão fechados.