Você pensa que fala difícil?

Ronaldo Caldeira Xavier (autor)

Palavrório rebuscado de um advogado (publicado em 1976):

O alcandor Conselho Especial de Justiça, na sua apostura irrepreensível, foi correto e acendrado no seu decisório. É certo que o Ministério Público tem o seu lambel largo no exercício do poder de denunciar. Mas nenhum labéu o levaria a pouso cinério se houvesse acolitado o pronunciamento absolutório dos nobres alvazires de primeira instância. A sentença apelada é de enche-mão e vegeta. Mereceu, por isso, o imbatível confirmatório dessa corte. Explica-se sem repechos. A empresa de ……………., depois da persecutio criminis em espécie, não deixou de prestar seus serviços aos impávidos heiduques do Exército Nacional. Um varão, com essas qualidades de escol, alciônico e respeitador, iria cometer um estelionato que é cometimento próprio dos zafimeiros e dos calafanjes do pior felpo? Seria capaz de lesar o acervo pecuniário da administração militar?

Ronaldo Caldeira Xavier (autor)

Um comentário em “Você pensa que fala difícil?”

  1. Carola,

    Eu diria que o novo modelo estrutural aqui preconizado oferece uma boa oportunidade de verificação das formas de ação. Nunca é demais insistir que a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação das novas proposições.

    E tenho dito!

Os comentários estão fechados.